Junte-se a 47.873 advogados inteligentes e receba dicas imperdíveis de Empreendedorismo e Marketing Jurídico

Se você não usar Marketing Jurídico agora, irá se odiar depois

Nesse artigo, vamos conversar sobre a importância de começar a usar o marketing jurídico como estratégia para crescer ou mesmo manter vivo o seu negócio.

Também vamos entender quais são as principais barreiras ao marketing dentro da advocacia.

Será que as restrições vem da OAB ou será que são limitações internas suas?

Aliás, o que o código de ética diz sobre o uso de marketing jurídico?

Continue lendo para entender sobre esses pontos e dar um passo importante para o sucesso da sua prática jurídica.

O BOM ADVOGADO VAI ALÉM DO CONHECIMENTO JURÍDICO

Antes de mais nada eu gostaria de perguntar a você, advogado ou advogada, quais são os requisitos para uma carreira jurídica de sucesso?

Quando decidi me tornar advogada, essa foi uma das primeiras perguntas que me fiz.

Antes de entrar no mundo jurídico, eu tinha uma carreira que me trouxe muitas realizações.

Durante 15 anos como engenheira, fui executiva da área de estratégia e planejamento, além de diretora e conselheira de grandes empresas.

Apesar de ter decidido mudar de área, eu queria continuar na carreira jurídica essa trajetória de excelência.

Aliás, se você quiser conhecer um pouco mais sobre a minha história, pode ler esse outro artigo.

Nele, conto porque mudei minha área de atuação e porque eu decidi ajudar você, advogado ou advogada, na sua jornada para uma advocacia de sucesso.

Mas, voltando ao assunto, provavelmente, a primeira resposta que nos vêm à cabeça é que para ter sucesso é necessário ter conhecimentos jurídicos sólidos e gostar do que se faz.

Concordo que essas são condições básicas, sim, mas não suficientes.

Mas, então, quais são as competências complementares para uma advocacia de sucesso?

MARKETING JURÍDICO: COMO PENSAR “FORA DA CAIXA” E OBTER O SUCESSO NA ADVOCACIA

A expressão “fora da caixa” é muito usada por empreendedores e no mundo corporativo. Ela significa pensar diferente, fugir do óbvio.

E essa é a única maneira de se destacar nesse mar de advogados.

Eleger um mercado alvo de atuação e investir na sua diferenciação são fundamentais para que você seja encontrado, contratado e valorizado pelos seus clientes potenciais.

Mas, na verdade, o que faz a diferença mesmo na carreira de um advogado de sucesso é ter bons clientes, de preferência muitos e, sobretudo, leais e satisfeitos.

E isso se conquista com a construção de bons relacionamentos ou usando uma palavrinha bem mal vista na nossa profissão…

Se conquista com marketing, com marketing jurídico eficiente.

A má fama do marketing junto aos advogados é fruto de um equívoco.

MARKETING JURÍDICO: O FUTURO E A ESTRATÉGIA CERTA PARA A SUA ADVOCACIA

Uma recente matéria publicada na mídia mostra que é preciso superar a imagem do advogado burocrata, “especialista em certo e errado”. O cenário pode ser bem mais atrativo.

No direito, nós não recebemos formação adequada nem em economia e nem em marketing. Ambas são competências comuns para muitas outras profissões.

Profissionais de administração, comunicação e até muitos engenheiros estão familiarizados essas disciplinas.

Em entrevista ao Estadão, Olavo Coimbra, consultor da Hays, especializada em recrutamento e seleção, afirma que:

“Da faculdade, (você) sai preparado para ser bom advogado, com bom entendimento das leis. No entanto, se vai atuar em empresas precisa entender disso”.

E o “disso” que ele usa significa, justamente, o marketing jurídico.

Eu ainda complementaria essa colocação: não somente o advogado ou advogada que atua em empresas (próprias ou não) deveriam entender sobre marketing jurídico.

Todos os profissionais da advocacia deveriam, indiscutivelmente, ter a chance de ampliar as suas competências em marketing.

Essa é a chave para aumentar exponencialmente suas perspectivas de conquistar mais clientes e de alcançar os resultados vencedores que você merece.

“Mas e o Código de Ética?”, você deve estar se perguntando.

O CÓDIGO DE ÉTICA NÃO VEDA O MARKETING EFICAZ

Muitos advogados julgam que fazer marketing dos seus serviços seja vedado pelo nosso Código de Ética.  Vêem os limites impostos pelo Código de Ética como um impedimento ao uso do marketing como estratégia.

E aí ficam paralisados, esperando o cliente bater à porta.

Apesar de muitos advogados pensarem que não é possível usar o marketing jurídico para captar e fidelizar clientes, isso não é verdade.

Assim como no Código recentemente aprovado, e que entrará em vigor após a vacatio legis, o Código de Ética atual faz restrições específicas à publicidade.

Em outras palavras, restringe os anúncios feitos para divulgar o advogado ou escritório.

Mas o marketing jurídico vai muito além da publicidade!

Aliás, a publicidade é apenas uma das ferramentas do marketing.

E, na verdade, marketing pode ser definido essencialmente como uma estratégia de relacionamento com clientes atuais e potenciais. Por isso, posso afirmar que não há vedação ao marketing no nosso Código de Ética.

Mais do que isso: o marketing eficaz, isto é, o marketing que funciona é, por definição, exatamente aquele feito dentro dos princípios éticos.

AINDA NÃO ESTÁ CONVENCIDO COM RELAÇÃO AO MARKETING JURÍDICO? EU JÁ SEI O PORQUÊ.

Além da confusão que muitos fazem sobre as restrições as marketing jurídico existe também, em muitos casos, um desinteresse inconsciente por parte de muitos advogados.

E isso tem a ver com o perfil das pessoas que escolhem a carreira jurídica.

Ficou curioso? Então continue lendo para entender.

a) perfil introvertido

Você sabia que análises psicológicas feitas nos EUA comprovam que mais de 53% dos advogados têm um perfil introspectivo? E que na população em geral esse número é de apenas 23%?

Pessoas mais introspectivas tendem a escolher a nossa profissão.

E, se você tem um perfil mais introspectivo ou mais “tímido” é possível que você ache, equivocadamente, que marketing não é para você.

Aliás, esse é um pensamento comum entre os advogados. Muitos acreditam que, para fazer marketing jurídico, é preciso saber vender.

Isso, entretanto, não é verdade.

Já vimos acima que o marketing é uma estratégia para criar relacionamentos duradouros com os clientes.

E criar relacionamentos de sucesso com os clientes não são apenas para os extrovertidos.

O que vai variar, isso sim, são as ferramentas de marketing jurídico mais adequadas a cada estilo pessoal e às suas habilidades.

Há, por exemplo, quem se sente mais confortável falando, há aqueles que preferem escrever e por aí vai.

A grande sacada é encontrar as ferramentas de marketing mais adequadas ao seu perfil.

E sempre haverá, sobretudo, estratégias mais apropriadas ao seu mercado de atuação.

E mais: se ao ler essas minhas palavras você se reconhecer cético em relação à eficácia das ferramentas de marketing, saiba que você está com a maioria dos advogados.

b) perfil cético

Você sabia que 90% dos advogados têm uma tendência a uma visão cética do mundo?

E que na média da população apenas 50% dos indivíduos têm esse perfil?

É o que apontou um estudo conduzido por especialistas norteamericanos e realizado com milhares de advogados desde os anos 1980.

O ceticismo parece ser uma tendência pessoal dos que escolhem a carreira jurídica.

Por outro lado, à medida em que entramos no dia a dia da profissão, reforçamos esse perfil.

Afinal, aprendemos a identificar todos os riscos para o nosso cliente a fim de mitigá-los. Aprendemos também a ver os erros da outra parte para saber como contra argumentar, e por aí vai.

Esse conjunto de competências é essencial para um advogado fazer bem o seu ofício, sem dúvida. No entanto, esse modelo mental “negativo”, tão útil na prática da advocacia, pode ser um problema na hora de fazer uma boa gestão do seu escritório e de sua carreira.

O seu foco, ao olhar para a sua profissão e o seu escritório, precisa estar nas oportunidades que estão à sua volta e o marketing jurídico é uma delas.

O foco “no que pode dar errado” pode estar lhe impedindo de ver o marketing jurídico como oportunidade.

Mas, quando a maioria dos outros advogados estejam usando essa estratégia, pode ser que seja tarde demais para você.

QUEBRANDO BARREIRAS: O MARKETING JURÍDICO É PARA VOCÊ?

Se você ainda não está seguro com relação ao marketing jurídico, eu vou propor um exercício para te ajudar a sair da inércia.

Faça uma reflexão agora, nesse exato momento.

Pense por alguns minutos: onde você quer chegar daqui a 1, 3 ou 5 anos na sua carreira, no seu escritório e na sua vida pessoal?

  • O que você quer SER?
  • O que você quer FAZER?
  • O que você quer TER?

Pensou? Então, agora uma rápida análise do sua visão de futuro.

  • Sua visão de futuro depende de uma prática jurídica que lhe dê mais satisfação pessoal, mais qualidade de vida e melhores resultados financeiros?
  • Sua visão de futuro exige mais e melhores clientes, leais e acima de tudo satisfeitos?
  • Você reconhece em si um modelo mental mais “negativo” e que pode estar lhe impedindo de identificar as oportunidades que estão à sua volta?
  • Você entende que até hoje não deu tudo de si na tarefa de conquistar eticamente mais e melhores clientes?

Bom, se você respondeu sim a alguma dessas perguntas, nesse caso, vale a pena você fazer começar a estudar e aplicar técnicas de marketing jurídico.

Faça uma reflexão estratégica para escolher e colocar em prática as melhores ferramentas de marketing jurídico que levem você a realizar seus objetivos.

Não será sem esforço e demandará algum tempo e dinheiro, apesar de  grande parte das ferramentas serem gratuitas.

No entanto, se você tem uma visão de futuro, tem objetivos a alcançar e realmente quer chegar lá, então valerá a pena.

Tudo o que existe à nossa volta hoje, um dia já foi um sonho.

O mundo é de quem sonha, sim, mas é sobretudo de quem planeja, desenvolve as competências necessárias, arregaça as mangas e não desiste. O mundo é de quem FAZ.

E, sim, eu acredito que mudar a sua opinião com relação ao marketing não só é importante, como também urgente.

CONCLUSÃO: TURBINE OS SEUS RESULTADOS COM MARKETING JURÍDICO

Apesar da palavra marketing ser mal vista na nossa profissão, esse preconceito existe por uma visão equivocada sobre o que é o marketing.

Marketing é uma estratégia para captar clientes mas, principalmente, para estabelecer um relacionamento proveitoso e duradouro com eles.

Quando consideramos essa proposta, fica claro que os advogados e a advocacia como um todo se beneficiariam fortemente dessa estratégia.

Se antigamente para ser um advogado de sucesso era necessário apenas ter conhecimentos jurídicos, hoje é preciso ir além daquilo que aprendemos na universidade.

Para ser um advogado ou advogada de sucesso, é preciso se destacar dentre os outros 1 milhão de advogados. Para isso, é necessário uma estratégia de diferenciação e o uso do marketing jurídico pode ser essa estratégia.

Você já viu que o nosso Código de Ética não é “anti-marketing”.

Agora, falta só um passo…

Apesar do seu ceticismo ou da sua timidez, rompa a sua barreira interna com relação ao uso do marketing.

Liberte a sua mente de preconceitos sobre esse instrumento e se dê a chance de ser encontrado e reconhecido pelos seus clientes.

E, para fechar, gostaria de deixar uma reflexão:

“Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo” – Henry Ford

51star1star1star1star1star

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *